Vejam um ciclista, ele gosta de ajudar as pessoas e de preservar a natureza

Olá Visitante
 



 
Depoimentos


Autor: Gabriel Almeida
Data: 10Out2007
Assunto: Iron Biker 2007
Fonte: E-mail

Título: Iron 2007 - Depoimento

IRON BIKER 2007

Quem pensava em ir e não foi simplesmente perdeu a melhor experiência que um biker pode ter em trilhas.

Logo no primeiro dia com belos 75 km pela frente, comecei fazendo como vários bikers experientes haviam me falado, “... comece poupando energia, pois essa prova sempre é muito difícil...”, difícil? Vocês estão todos doidos, difícil é pouco, essa prova é difícil bagaraio, ou como diria nosso amigo Jales Macalé “... Isso é desumano...” com aqueles escala bike (pois chamar de empurra bike não expressaria realmente o que foi aquilo, nem as motos estavam subindo direito) o primeiro dia tornou-se quase impossível pra mim de ser zerado dentro do tempo máximo de prova.

Mas tirando as escaladas que fizemos, tiveram também trechos maravilhosos como singles de muitos quilômetros que pedíamos para que não acabassem, muitas pirambas boas de largar a bike, trechos que exigiam ao máximo a técnica do biker e mais ainda a resistência bike, afinal, pensem em juntar todas as trilhas Rebas do ano numa só, teríamos todos os tipos de terreno e situaçôes num só dia, esse foi o IRON BIKER 2007.

No km 35 após dois escala bike senti fortes câimbras nas panturrilhas e quadríceps esquerdo o que me fez ficar parado por quase 30 min e decidir concluir a prova em ritmo de passeio mesmo ou eu não chegaria ao final.

Ao final do primeiro dia de prova, chegando à praça de Ouro Preto ainda teríamos que encarar uma descida com desnível de quase 400 metros em apenas 02 quilômetros de paralelepípedos que acabaram com os meus freios, dedos e músculos dos braços, fiz essa descida com várias paradas, afinal a bandeirada de chegada já havia sido dada e eu estava morto.

Com o espírito Rebas de ser, fiquei esperando meus companheiros de aventuras Sérgio e Inaldo chegarem desse desafio e já com a bike na revisão para encarar o segundo dia. Com todos reunidos, fomos para o hotel comer uma bela macarronada e dormir, pois estávamos todos exaustos.

Para o segundo dia de prova como a largada seria em Mariana, cidade que estávamos lotados eu dormi até o último momento e decidi chegar já pedalando na hora da largada, e que decisão mais acertada essa, chegamos Sérgio e eu já no momento da largada e nos alinhamos (furando fila) para mais um dia de pedal pelos morros mineiros.

Por incrível que pareça eu estava bem melhor que no primeiro dia e da metade a prova para frente decidi apertar o ritmo e aumentar a adrenalina, pois segundo a altimetria da prova, o segundo dia seria um dia com menos subidas, ledo engano, só não tinha escala bike, nesse dia sim tivemos 2 empurra bike fortes, mas que não tiraram o brilho de mais uma trilha maravilhosa e na minha opinião muito mais prazerosa que a do primeiro dia pela quantidade de singles, descidas radicais e trechos técnicos apresentados.

E por falar em descidas, eu quase encontrei com uma cerca quando tentava acompanhar um camarada numa Cannondale full, eu estava a 65Km/h freando muito e a bike não parava, mas tirando esse susto o dia foi ótimo e consegui chegar ao final da prova tranqüilo e não tenho nem como descrever qual é a sensação de chegar ao final e levantar a bike no pódio com a vibração da galera te aplaudindo. Só quem foi é que sabe.

A viagem com a equipe Rebas foi maravilhosa em todos os aspectos, estou aguardando ansioso para o IRON do ano que vem e com uma promessa feita entre alguns para começar a treinar desde já, dieta e treino hein, vou cobrar de quem prometeu.

Inaldo, o discurso do Churchill traduz bem mesmo nosso espírito nessa aventura. E vamos todos com esse pensamento para o IRON do ano que vem.

“... We shall fight in the hills, we shall never surrender...”

IRON RULEZ

Abs

Gabriel

Marca registrada Rebas do Cerrado - Nota de rodapé do site
Webdesigner: Débora Alves

A primeira versão deste site foi construída por Eliézer Roberto Pereira , Bob King, um dos fundadores do Rebas do Cerrado que infelizmente nos deixou em dezembro de 2004.

Posteriormente o nosso amigo Marcelino Brandão Filho, também fundador e coordenador do grupo por 6 anos, desenvolveu com dedicação ímpar uma nova versão. Marcelino faleceu em julho de 2013 e além do site deixou entre outros legados importantes a padronização dos procedimentos de operacionalização e condução dos eventos Rebas.

Mantemos a página principal o mais próximo possível do desenho original em homenagem aos dois fundadores.

As marcas Rebas® e Rebas do Cerrado®, bem como o logotipo® do grupo Rebas do Cerrado são Marcas Registradas® pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial(INPI), com todos os Direitos Reservados.